Artigo: Audiência Pública sobre BR 381

Como maiores usuários das rodovias federais, os Transportadores Rodoviários de Carga querem participar da construção do modelo de privatização das BRs. Muitos modais serão privatizados conforme anunciado pelo ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas. Nós do TRC não somos contra a privatização, mas queremos melhores serviços, com pedágios justos.

Nesse sentido, a Fetcemg e o Setcemg apresentaram à Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), durante Audiência Pública, no dia 2/8, em BH, as propostas dos transportadores para a concessão de 673,82 quilômetros da BR- 381/262/MG/ES, conhecida como Rodovia da Morte.

Fizemos 13 sugestões para serem inseridas no edital de privatização da BR381. Entre as colocações encaminhadas, destaca-se a priorização da duplicação da rodovia no trecho entre BH e João Monlevade; viadutos e túneis com altura mínima de 7 metros para cargas especiais fora do padrão; evitar o modelo de concessão por outorga remunerada, uma vez que onera sobremaneira o valor das tarifas de pedágio e não contribui para a produtividade do negócio; sistema de cobrança de pedágio pelo km-trecho utilizado, rodovias inteligentes com mais tecnologia e conectividade,

Obrigatoriedade de reservar pontos de parada/descanso dos motoristas e pontos de atendimento a ocorrências com cargas perigosas; formação de preço da tarifa de pedágio para veículo de transporte por eixo rodante; incluir no edital a obrigação da concessionária instalar radares eletrônicos inteligentes e com controle por velocidade média do trecho, dentre outros itens.

Solicitamos, com antecedência, as propostas para nossas associadas e o documento final, que será entregue à ANTT até o dia 2¹ de setembro, contempla as sugestões dos transportadores. Informamos que até o dia 20 de agosto o Setcemg estará colhendo sugestões do TRC em nosso site.

Estamos presentes nessa nova gestão do Governo Federal contribuindo com sugestões e participando de reuniões e encontros. Queremos que a privatização da BR381 seja um modelo em Minas Gerais. Um modal moderno e com um licenciamento que fomente os negócios sem pesar no bolso do contribuinte.

Gladstone Lobato – presidente do Setcemg

*Este artigo foi publicado originalmente na coluna Painel do Transporte da edição do dia 12 de agosto de 2019 do jornal O Tempo.

¹ Na edição do jornal, foi informado erroneamente que o prazo máximo de envio das sugestões para a ANTT era até o dia 20 de setembro. O correto é dia 2 de setembro.

Posts Relacionados

Deixe um comentário