Scroll Top

CNT apresenta propostas do setor de transportes para o novo governo

Com o novo governo assumindo em 1 de janeiro de 2019, quais serão os principais desafios enfrentados por eles para o setor de transporte? Quais serão as prioridades? Diante disto, a Confederação Nacional do Transporte (CNT), produziu o documento “O Transporte Move o Brasil – Propostas da CNT aos Candidatos”.

O documento apresenta 13 fichas com os principais problemas e soluções para o Brasil, com foco no setor de transporte. Foram selecionados temas que merecem destaque e atenção durante a gestão 2019-2022.

Para o transporte rodoviário, que é a principal modalidade de transporte de pessoas e de carga no país, o documento apresenta vantagens em relação aos outros modais, principalmente quanto a flexibilidade e facilidade de acesso aos pontos de embarque e desembarque, oferecendo um serviço porta a porta aos usuários.

O rodoviário é, também, o que gera maior riqueza entre os segmentos de transporte. Dados da Pesquisa Anual de Serviços (PAS), publicada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que as empresas de transporte rodoviário de passageiros e de cargas respondem por 55,5% da receita operacional líquida e por 52,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do setor.

Para a manutenção rodoviária, a CNT propõe, por exemplo, a criação de um programa de Parcerias Público-Privadas (PPPs) que use recursos da Cide-combustíveis para financiar a contrapartida federal e a cobrança de pedágio por parte da iniciativa privada.

O Plano CNT de Transporte e Logística 2018 estimou que, para a solução dos gargalos físicos da infraestrutura rodoviária e a ampliação da rede viária, são necessários R$ 496,12 bilhões em ações de adequação, construção, duplicação, pavimentação e recuperação do pavimento de rodovias. O montante é 67 vezes maior do que o valor autorizado pelo governo federal para intervenções rodoviárias em 2018 (R$7,33 bilhões).

Para garantir maior segurança nas rodovias brasileiras e evitar fatalidades, ações de formação de condutores, fiscalização, solução de problemas de infraestrutura e redução da idade avançada dos veículos, notadamente de cargas, são fundamentais.

Também é necessária a intensificação da fiscalização, principalmente nas rodovias, para que os excessos cometidos sejam punidos de forma a evitar acidentes mais graves. Ações de correção das sinalizações horizontal e vertical também devem ser realizadas de forma rápida.

Confira o documento completo aqui.

Deixe um comentário

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.