PRESIDENTE DO SETCEMG PARTICIPA DE EVENTO COM O GOVERNADOR E O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

content_cristiano_machado_imprensa_mg_rsc8658

O presidente do Setcemg, Gladstone Lobato, que também é vice-presidente da FETCEMG, representou o setor de Transporte Rodoviário de Cargas em cerimônia de sanção da lei que destina R$ 2,8 bilhões para melhoria, ampliação e privatização do metrô de Belo Horizonte nesta quinta-feira (30/09). Leia a matéria da Agência Minas:

Romeu Zema participa da cerimônia que marca a sanção da lei que libera R$ 2,8 bi para o metrô de BH, ao lado do presidente
Governo de Minas também vai investir R$ 428 milhões na modernização da linha 1 e construção da linha 2

O governador Romeu Zema participou, nesta quinta-feira (30/9), ao lado do presidente da República, Jair Bolsonaro, da cerimônia de sanção da lei que destina R$ 2,8 bilhões para melhoria, ampliação e privatização do metrô de Belo Horizonte. Durante o evento, na Cidade Administrativa, na capital mineira, também foi feito o lançamento da pedra fundamental do Centro Nacional de Vacinas, que será construído em Minas Gerais.

O projeto de lei, aprovado nesta semana pelo Congresso Nacional, destina R$ 2,8 bilhões para a desestatização da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) para a modernização da linha 1 e financiamento da linha 2 (Calafate / Barreiro) do metrô. O Governo de Minas também irá aportar R$ 428 milhões nas obras. A previsão é a de que o leilão seja realizado no primeiro trimestre do ano que vem.

“O anúncio que a região metropolitana de Belo Horizonte mais espera há décadas, este investimento no metrô, finalmente se torna uma realidade. É uma melhoria e ampliação no transporte que vai torná-lo mais rápido e de melhor qualidade. Não estamos anunciando promessa, o que estamos falando aqui hoje é de uma lei que está sendo sancionada e garante R$ 2,8 bilhões do governo federal e que serão complementados com R$ 428 milhões do Estado”, ressaltou o governador, lembrando a importância deste compromisso histórico e simbólico para Minas Gerais.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, destacou a parceria com o governo mineiro para a realização das obras.

“Há poucos dias o Congresso aprovou um projeto destinando R$ 2,8 bilhões para a construção do metrô, e o nosso governador Romeu Zema também está aportando (mais de) R$ 400 milhões para esta obra. Como é bom ter um governador da estatura do Romeu Zema. A humildade do Zema é o sucesso de seu trabalho em Minas”, afirmou o presidente Bolsonaro.

Demanda histórica

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, lembrou que a ampliação do metrô de Belo Horizonte era uma antiga promessa feita para a população mineira.

“Estamos falando do metrô de Belo Horizonte, da duplicação de uma linha, do restabelecimento e modernização de outra linha, um sonho de mais de 30 anos de BH. Por isso, junto com o governador Zema, junto com os ministros, fizemos um esforço para encontrarmos a solução para equacionarmos este grave problema que atacava e fragilizava a mobilidade urbana de Belo Horizonte”, afirmou o ministro.

Os R$ 428 milhões que serão investidos pelo Governo de Minas no metrô são provenientes do Termo de Reparação assinado com a Vale S.A., que visa reparar integralmente os danos decorrentes do rompimento das barragens da empresa, em Brumadinho, que vitimou fatalmente 272 pessoas e gerou uma série de impactos sociais, ambientais e econômicos na bacia do Rio Paraopeba e em todo o Estado de Minas Gerais.

Rodovia

Durante a cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro também anunciou a assinatura do aviso de licitação da pavimentação da BR-135, entre Manga e Itacarambi, no Norte de Minas. Segundo o presidente, a autorização foi feita pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, nesta quinta-feira (30/9).

Centro Nacional de Vacinas

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, lançaram a pedra fundamental do Centro Nacional de Vacinas, que será construído no estado em parceria com o governo de Minas Gerais e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Serão investidos R$ 80 milhões no projeto, sendo R$ 30 milhões do Governo de Minas Gerais para a construção e importação de equipamentos laboratoriais, sendo R$ 12 milhões disponibilizados pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig) e R$ 18 milhões pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), e outros R$ 50 milhões do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

“É mais um investimento resultado de diálogo e parceria. O inédito Centro Nacional de Vacinas terá a importante tarefa de realizar pesquisas para o desenvolvimento de vacinas, além da  investigação de diagnósticos que irão contribuir no combate à pandemia da covid em todo o país. Esperamos que a construção do Centro se inicie em janeiro do próximo ano e que este local se torne rapidamente em uma referência mundial no estudo, pesquisa e desenvolvimento de imunizantes”, afirmou o governador.

O ministro Marcos Pontes afirmou que o projeto vai promover a independência de tecnologia na produção de lotes-pilotos de vacinas e testes de diagnóstico para doenças humanas e veterinárias.

“Nós agora teremos condições de produzir no país a tecnologia de vacina, o insumo farmacêutico e a distribuição. E isto vai ser aqui em Minas Gerais. Esta parceria do ministério com o Governo de Minas Gerais, a UFMG e outros parceiros vai permitir que o Brasil seja independente com relação à produção de vacinas. Isto significa um impacto para milhões de pessoas”, disse o ministro.

Modernidade

O Centro Nacional de Vacinas será uma associação sem fins lucrativos com ambiente multidisciplinar, diverso e de inovação, comparado ao Centro da Universidade de Oxford, que desenvolveu a vacina AstraZeneca.  A construção tem início previsto para janeiro de 2022, no local onde hoje existe o Centro de Tecnologias de Vacinas (CTVacinas), da UFMG, ampliando o antigo espaço que dispõe de mão de obra altamente qualificada.

A construção do Centro Nacional de Vacinas contribui não somente para acelerar o desenvolvimento tecnológico e científico de imunizantes no Brasil, como também tira o país da condição de refém da tecnologia internacional, agilizando a fabricação, por exemplo, de vacinas para infecções virais epidêmicas e pandêmicas, como malária, leishmaniose, doença de Chagas, zika, chikungunya, dengue e covid-19, contribuindo, assim, para o desenvolvimento socioeconômico do estado de Minas Gerais e do Brasil.

Também participaram da cerimônia demais representantes dos governos federal e estadual, outros Poderes, deputados federais, deputados estaduais e demais autoridades.

Fonte: Agência Minas

Posts relacionados

Deixe um comentário

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.