RETOMADA DOS SIMULADOS E TREINAMENTOS EM TEMPOS DE PANDEMIA

O ano de 2020 está chegando ao seu último trimestre e, diante das situações adversas vivenciadas por todos, é importante refletir para avaliar as decisões tomadas no âmbito empresarial para enfrentamento da Covid-19.

A crise instaurada apresentou desafios imensos ao setor produtivo brasileiro e, é claro, para todo o TRC, que reinventou seu modus operandi para trabalhar com eficiência e garantir ambiente seguro para seus colaboradores, especialmente aqueles lotados nas linhas de frente.

Porém, com um certo retorno à normalidade, é importante alertar a todos para a necessidade de retomar o cumprimento das obrigações legais que foram, em alguns casos, adiadas em função da concentração dos esforços no enfrentamento da Covid-19.

Especialmente, refiro-me à obrigatoriedade de se retomar as programações dos simulados de emergência, especialmente para os cenários previstos nas normas de meio ambiente e saúde e segurança do trabalho, a exemplo das NRs 20, 33, 35; das normas do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais; e da Lei Estadual 22.805/17. Aqui, referi-me à obrigatoriedade de simulados periódicos (muitas vezes anuais) que têm como objetivo preparar as equipes para enfrentamento de cenários emergenciais com líquidos combustíveis e inflamáveis, espaços confinados, trabalho em altura, incêndios e explosões, transporte de produtos perigosos, entre outros.

Os números comprovam que as emergências ambientais ocorridas no transporte de produtos perigosos não se reduziram em razão da Covid-19 e, justamente por este motivo, importante que as empresas de transporte estejam preparadas para o enfrentamento da emergência.

Importante destacar que as normas vigentes sobre tais temas não foram alteradas e que não houve suspensão dos prazos para realização de tais exercícios. Assim, mesmo que para o transporte de produtos perigosos não haja previsão legal obrigando à realização de simulados, pelo princípio da prevenção é importante que a empresa realize anualmente simulados, para que a equipe esteja preparada em caso de emergências ambientais no transporte.

Também é prudente retomar os treinamentos dos motoristas quanto à direção segura, especialmente alertando sobre o crescimento das queimadas nas pistas de rolamento das rodovias e sobre os riscos existentes para o transporte de líquidos inflamáveis diante deste cenário.

Por fim, certos de que as pessoas normalmente estão à altura da ocasião quanto recebem grandes responsabilidades, acreditamos que o transporte é o grande protagonista, pois manteve e mantém os hospitais, supermercados, farmácias entre outros, abastecidos garantindo o mínimo de normalidade na rotina dos brasileiros.

WALTER CERQUEIRA – assessor juridicoambiental do Setcemg e da Fetcemg

Posts relacionados

Deixe um comentário

Privacy Preferences
When you visit our website, it may store information through your browser from specific services, usually in form of cookies. Here you can change your privacy preferences. Please note that blocking some types of cookies may impact your experience on our website and the services we offer.